O dom de ouvir e aceitar

Refletindo sobre o tema Instrução, achei os significados, ensinar, informar e esclarecer.

Vendo por esta ótica e analisando o comportamento humano, cheguei à conclusão de que não o levamos em consideração como deveríamos. Lembro-me muito bemquando comecei a surfar. Foi na Praia dos Artistas, no Corsário, em Salvador.

Peguei a prancha de meu irmão, uma Hollywood vermelha. Parecia um cigarro em forma de prancha. Imagine que contradição, afinal, o surf é um esporte tão saudável. Mas, enfim, peguei, passei vela (não tinha parafina) e achava que serviria.

Fui ‘surfar’ sem nenhuma instrução. Só sabia que deveria ficar em pé e, é lógico, com tantos erros, não consegui. Vemos o nível do surf moderno e precisamos lembrar o que está por trás disso. Quanta instrução, ensino, orientação e esclarecimento. Ver meninos cada vez mais jovens, às vezes crianças, já em projetos profissionais para se tornarem grandes atletas me faz entender que, verdadeiramente, o surf mudou.

As ondas são as mesmas, o princípio também, mas se aperfeiçoando a cada dia mais. Ver ídolos do passado, a exemplo de Martin Potter, comandando grandes equipes nos mostra como é importante a participação de pessoas experientes para instruir novos atletas, que almejam grandes feitos. Na vida não é diferente. Somos resistentes aos conselhos, afinal, “queremos ter a nossa própria história”.

Não é que não devemos, porém, ouvir sempre é positivo, pois é uma boa oportunidade de acrescentar em nossas decisões.

“Não havendo sábios conselhos, o povo cai, mas na multidão de conselhos há segurança.” Prov.11:14

Está diante de nós esse desafio que vai passar pelo nosso coração. Se quisermos crescer em nossas vidas, precisaremos ter humildade e reconhecermos que precisamos de instruções. Seja em que nível for, como disse.

Boas ondas.

Pellegrino

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *